Resolução de Litígios de Consumo

Tem um litígio de consumo?

Sabia que deve sempre contactar primeiro o fornecedor do bem ou o prestador do serviço para tentar resolver o problema?

Sabia que pode resolver litígios de consumo fora dos tribunais?

A resolução alternativa de litígios de consumo disponibiliza uma justiça acessível, célere e simples, sem custos ou pouco dispendiosa para os consumidores.

 

Resolução Alternativa de Litígios de Consumo 

 

A Resolução Alternativa de Litígios de Consumo (vulgarmente designada RAL) abrange a mediação, a conciliação e a arbitragem.

Entidades independentes, com pessoal especializado e de modo imparcial, ajudam o consumidor e a empresa a chegar a uma solução amigável por via da mediação ou da conciliação. Caso esse acordo não seja alcançado pode ainda recorrer-se ao tribunal arbitral, através de um processo simples e rápido.

Um novo regime jurídico: a Lei n.º 144/2015 de 8 de setembro, quer veio transpor a Diretiva 2013/11/UE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 21 de maio de 2013, sobre a resolução alternativa de litígios de consumo e que estabelece o enquadramento jurídico dos mecanismos de resolução extrajudicial de litígios de consumo, criando em Portugal a Rede de Arbitragem de Consumo.

Os procedimentos de resolução extrajudicial de litígios promovidos por uma entidade de Resolução Alternativa de Litígios (RAL), quando:

  • os mesmos sejam iniciados por um consumidor contra um fornecedor de bens ou prestador de serviços.
  • respeitem a obrigações contratuais resultantes de contratos de compra e venda ou de prestação de serviços.
  • sejam celebrados entre um fornecedor de bens ou prestador de serviços e consumidores estabelecidos e residentes, respetivamente, em Portugal e na União Europeia.

Estão excluídos:

  • os Serviços de Interesse Geral sem contrapartida económica tais como os serviços sociais prestados pelo Estado ou em seu nome;
  • os serviços de saúde e os serviços públicos de ensino complementar ou superior;
  • os litígios de empresas contra consumidores e as reclamações e pedidos de consumidores junto de empresas e de entidades reguladoras: nestes casos os problemas devem ser resolvidos sem que as regras RAL sejam aplicaveis.

(in brochura da Direção-Geral do Consumidor, www.consumidor.pt, novembro 2015)

Em caso de litígio connosco, o consumidor pode recorrer a uma Entidade de Resolução Alternativa de Litígios de consumo de competência nacional (supletiva):

CNIACC – CENTRO NACIONAL DE INFORMAÇÃO E ARBITRAGEM DE CONFLITOS DE C ONSUMO, emwww.arbitragemdeconsumo.org

Mais informações em Portal do Consumidor: www.consumidor.pt

 

Para os demais litígios judiciais a comarca competente para o efeito é a de Aveiro.

litigios_613x466